10 âncoras que podem travar sua organização na implementação de um Sistema de Gestão da Inovação

As organizações que nasceram no século XX já se deram conta que a inovação deve ser considerada como parte integrante da estratégia. Sem ela, dificilmente a empresa conseguirá sobreviver neste novo mundo complexo. Só há uma certeza nos próximos anos. A mudança.

Foi pensando nisso que resolvi compartilhar com todos as 10 âncoras que podem travar sua organização e impedi-la de navegar novos mares em linha com as orientações da nova ISO 56002. A fonte deste material vem do Movimento Business TransformationAs 10 âncoras são:

1- LUCRO PELO LUCRO

Busca incessante por resultados financeiros como única razão de ser da organização. Sem retornos em satisfação de clientes, felicidade dos colaboradores e apoio da comunidade, lucros de curto prazo se revelam insustentáveis ao longo do tempo.

Pinchas - Frases - espelho2- LIDERANÇA EGOCÊNTRICA

Líderes implementam estruturas, práticas e cultura que correspondem a sua forma de ver o mundo. Uma organização com liderança egocêntrica continua presa a um passado de competição excessiva, disputas de poder e busca por resultados de curto prazo, incompatíveis com o século XXI.

3- PRODUTOS E SERVIÇOS SEM SENTIDOS

Empurrar, de forma desenfreada, produtos e serviços por meio de propaganda paga, de interações que não agregam valor, de complexidade desnecessária e canais limitados.

4- AMBIENTE DE TRABALHO ESCRAVIZANTE

Ambiente de escravidão assalariada que trata as pessoas como recursos que trabalham pela força da necessidade, que estimula o surgimento de máscaras e promove infelicidade e desengajamento em níveis crônicos.

5- HIERARQUIA E CENTRALIZAÇÃO DO PODER

Estrutura organizacional rígida baseada em hierarquias determinadas por cargos, comando e controle, sem clareza e flexibilidade para adequação de papéis, autonomia de quem executa o trabalho e responsabilização.

6- RESISTÊNCIA AO DESCONHECIDO

Foco excessivo no Business as Usual(BAU) e forte resistência a situações de incerteza, inovação e empreendedorismo.

7- PROCESSOS RÍGIDOS

Práticas engessadas para execução e gestão dos projetos de rotinas de trabalho, sem flexibilidade para lidar com imprevistos e necessidade de ajustes rápidos.

8- ESCASSEZ DE INFORMAÇÕES

Incapacidade de uma organização em coletar e tratar dados para gerar informações e conhecimento existentes sobre sua operação interna, serviços e clientes, e assim aprender com suas experiências prévias.

9- ÊNFASE NA POSSE DE ATIVOS

Dependência extrema de ativos próprios e com elevado custo fixo, incompatíveis com um futuro altamente dinâmico, onde o foco não está mais em possuir e sim em acessar.

10- DEGRADAÇÃO AMBIENTAL E SOCIAL

Crescimento infinito num mundo de recursos finitos, sem respeito aos limites ambientais e desigualdade social promovidos pela atividade econômica tradicional.

 

Caso tenha identificado uma ou mais âncoras não se preocupe. Muitas empresas brasileiras encontram-se na mesma situação e somente 2% das empresas nacionais estão totalmente preparadas para a transformação digital.

Perceba a oportunidade de sair na frente e se destacar como uma empresa inovadora antes de todos os concorrentes.

Caso queira saber mais como sua empresa pode eliminar as âncoras acima, entre em contato agora com a equipe da QMS e saia na frente.

Um abraço e bora transformar.

QMS Certification

A QMS Certification é um organismo de certificação internacional acreditado que atua especificamente com certificação de sistemas de gestão e treinamentos de normas aplicáveis.

Webinar do mês

Confira nossos conteúdos ao vivo!

Todo mês ensinamos ao novo gratuitamente, confira e se inscreva!

Nos webinars que você assistir ao vivo, há liberação de um certificado de participação ;)

Logo Q Academy Branco

Cursos online de
Sistemas de Gestão

Compliance no Terceiro Setor: Entenda a sua importância

Compliance no Terceiro Setor: Entenda a sua importância

O terceiro setor é uma esfera da atividade econômica que engloba organizações não governamentais (ONGs), associações, fundações e outras entidades que atuam com finalidades sociais, ambientais, culturais ou de desenvolvimento comunitário, mas que não raras vezes são usadas para prática de fraudes, por isso o Compliance no