Requisito “7.1.1 generalidades” de recursos na norma ISO 9001:2015

Entenda o item 7.1.1 Generalidades da ISO 9001:2015 e saiba como ele pode ajudar a melhorar os processos da sua empresa.

A ISO 9001 é a norma mais conhecida pelas empresas que buscam um norte para estruturar o Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ).

Essa norma tem diversos objetivos, como auxiliar as empresas a corrigir procedimentos que não são eficientes, planejar e determinar recursos que são necessários para manutenção dos processos, melhorar o sistema de gestão e, acima de tudo, aumentar a satisfação do cliente.

Para alcançar esses objetivos, antes de iniciar o processo de execução de seus serviços ou produtos, a empresa precisa analisar e verificar se terá os recursos necessários para tal. Como base de análise, a organização pode utilizar o requisito “7.1.1 generalidades” que está dentro do item 7.1 Recursos da ISO 9001:2015.

Antes de continuar a discussão, vejamos o item 7.1.1 na íntegra. Assim fica mais fácil analisá-lo, entender qual seu objetivo e como ele pode ajudar sua organização a alcançar mais resultados!

O que a norma diz no item 7.1.1 Generalidades?

“7.1.1 Generalidades

Dentro da ISO 9001:2015, existem diversos requisitos aos quais as empresas podem usar para se orientar e, assim, construir um bom processo de gestão. O item 7.1 da norma auxilia a análise e planejamento dos recursos necessários para apoiar os processos Estes recursos podem ser pessoas, infraestrutura, ambiente para operação dos processos e quaisquer outros necessários.

Dentro do item 7.1, temos o requisito “7.1.1 generalidades”, que é tema do nosso artigo de hoje. Este subitem ajuda as empresas a entender, de maneira geral, o que a organização pode precisar levar em conta na hora de analisar e fornecer os recursos necessários.

De acordo com o item 7.1.1 da norma, as organizações devem primeiro estabelecer o que será preciso para os processos. Em seguida, é preciso definir os recursos que a empresa já possui. A partir disso, é possível fazer um balanço entre aquilo que é necessário e o que já está disponível. Esse processo ajuda a entender melhor como a empresa opera e o que ela precisa  obter.

Além disso, não basta apenas executar os processos, a empresa precisa dispor dos recursos para garantir a melhoria contínua. Em ambos os casos, pode ser necessário buscar recursos fora da organização, afinal nem todos os recursos estarão disponíveis internamente.

Estes recursos podem ser pessoas competentes, as próprias competências, recursos financeiros, materiais diversos, infraestrutura, conhecimento, capacitação e muito outros. Por isso a necessidade de uma análise mais aprofundada e assertiva.

Os subitens do requisito 7.1.1 explicam ainda como a empresa pode analisar e, com isso, definir os recursos que são necessários. Vejamos cada um deles:

a) As capacidades e restrições de recursos internos existentes

Podemos entender que as capacidades sugerem aquilo que as empresas já possuem. A organização pode estabelecer uma espécie de lista para saber quais recursos que já estão disponíveis e se eles são adequados para alcançar seus objetivos.

Aqui, é preciso compreender se sua capacidade de recursos (funcionários, materiais, equipamentos, infraestrutura, etc.) é suficiente para entregar os produtos ou serviços de acordo com o combinado com o cliente (requisitos).

Já as restrições internas correspondem à limitação de recursos que a empresa possui e que irá precisar aprimorar. Ou seja, corresponde aos recursos que ela precisará desenvolver ou adquirir. Neste item, referimo-nos aos recursos internos, mas já aqui temos forte indicação daquilo que precisaremos buscar externamente.

Quando falamos de competências, por exemplo, é perfeitamente possível desenvolver pessoas internamente para suprir determinadas demandas. Assim, cabe à empresa realizar a análise e compreender se ela precisa ou não buscar um colaborador no ambiente externo. O que nos leva ao próximo tópico.

b) O que precisa ser obtido de provedores externos.

Depois de avaliar seus recursos internos disponíveis, é preciso entender que recursos a organização irá obter externamente através de fornecedores (na norma: “provedores externos”).

Como exemplo, podemos definir quais os tipos de materiais precisarão ser adquiridos, quais máquinas e equipamentos precisaremos comprar, se iremos terceirizar alguma necessidade da empresa ou quais treinamentos precisam ser ministrados aos colaboradores, entre outras possibilidades.

Resumindo, esse item nos diz que precisamos analisar nossa capacidade interna para, depois, decidir o que buscar no contexto externo da empresa.

A importância do item “7. 1.1 Generalidades” no sistema de gestão da qualidade e processos

Em absolutamente todo processo (seja ele da operação ou de implantação de um sistema de gestão) é necessário organizar etapas, avaliar objetivos e entender quais meios serão necessários para alcançar o que esperamos.

O item 7 da ISO 9001:2015, como um todo, nos apresenta todos os aspectos que vão influenciar nossos processos. Aqui, temos um aprofundamento do que precisamos ter disponível para organizar, avaliar e entender nossos processos e empresas.

Sem os recursos necessários, é muito complexo atingirmos os objetivos esperados, se é que é possível! Por isso, a ISO 9001:2015 traz boas práticas e auxilia a empresa a determinar tudo que é necessário. Seguindo essas práticas, possibilitamos a criação e execução de processos mais eficazes, fluidos e ajustados à realidade de nossas empresas!

Quer saber mais sobre a norma ISO 9001:2015? Conheça nosso curso de Auditor Líder ISO 9001, totalmente online e com acreditação Exemplar Global.

 

QMS Certification

A QMS Certification é um organismo de certificação internacional acreditado que atua especificamente com certificação de sistemas de gestão e treinamentos de normas aplicáveis.

Webinar do mês

Confira nossos conteúdos ao vivo!

Todo mês ensinamos ao novo gratuitamente, confira e se inscreva!

Nos webinars que você assistir ao vivo, há liberação de um certificado de participação ;)

Logo Q Academy Branco

Cursos online de
Sistemas de Gestão

Compliance no Terceiro Setor: Entenda a sua importância

Compliance no Terceiro Setor: Entenda a sua importância

O terceiro setor é uma esfera da atividade econômica que engloba organizações não governamentais (ONGs), associações, fundações e outras entidades que atuam com finalidades sociais, ambientais, culturais ou de desenvolvimento comunitário, mas que não raras vezes são usadas para prática de fraudes, por isso o Compliance no