Como a Gestão de Riscos pode ajudar sua empresa?

Como a Gestão de Riscos pode ajudar sua empresa?

Este artigo irá apresentar benefícios da gestão de riscos para as empresas, incluindo redução de perdas financeiras e reputação, antecipação de problemas e melhoria de desempenho e eficiência operacional.

Neste artigo, abordaremos os principais benefícios que uma boa gestão de riscos pode trazer para a sua empresa! Também vamos falar sobre alguns tipos de riscos, algumas formas de tratativas e como identificar possíveis ameaças e oportunidades de melhorias.

A Gestão de Riscos tem sido uma prática cada vez mais utilizada por empresas de diferentes ramos de atuação. E vem sendo fundamental para garantir a continuidade dos negócios além da redução de perdas financeiras e de reputação. E é claro, mais sustentabilidade! ?

Ter um sistema eficiente de Gestão de Riscos pode ajudar a empresa a se antecipar a possíveis problemas, tomar decisões mais conscientes e estratégicas e, assim, melhorar o desempenho e a eficiência operacional. Além de promover uma cultura de controle e segurança.

Dessa forma, de modo geral, a gestão de riscos acaba se tornando um investimento essencial para a sustentabilidade e o crescimento saudável da empresa a longo prazo.

 

Principais tipos de riscos para sua empresa

Cabe ressaltar que cada empresa tem seu ramo de atuação e deverá analisar os tipos de riscos que se encaixam no seu negócio, ao seu contexto. Lembrando também que em uma mesma empresa, podem ser identificados mais de um tipo de risco.

Vejamos agora os principais tipos, aqueles mais comuns e que podem ocorrer em qualquer ambiente:

  • Riscos financeiros: pode ser decorrente de uma flutuação de preços de mercado, que são as taxas de câmbio, juros, ações ou os famosos commodities, entre outros fatores;
  • Riscos operacionais: este ocorre por falha em processos e sistemas, equipamentos ou recursos humanos, ou seja, pode ocorrer na produção em si;
  • Riscos legais: os indesejáveis processos jurídicos podem ser uma dor de cabeça pois podem ocasionar multas, indenizações ou penalizações. Assim, é sempre bom se atentar a leis e regulamentações;
  • Riscos de reputação: este item pode ser considerado. grave pois a empresa pode perder a credibilidade e a reputação devido a atos ilegais que podem estar ligados à corrupção, negligência e até mesmo violação das leis, bem como a problemas relacionados a leis e produtos ou serviços;
  • Riscos de segurança da informação: este risco é de grande preocupação e muito comum entre as empresas, pois os ataques cibernéticos têm aumentado muito nos últimos anos. Além de vandalismo e roubo, estes ataques podem ameaçar diretamente a segurança da empresa;
  • Riscos ambientais: poluição, contaminação, desmatamento ou qualquer outra prática que prejudique o meio ambiente torna-se preocupante perante a gestão de riscos. Mesmo porque esse risco pode gerar prejuízos financeiros e de reputação, impactando a empresa em diversos níveis diferentes;
  • Riscos de saúde e segurança: acidentes ou doenças ocupacionais são outro fator que muitas empresas devem levar em consideração e tomar as medidas necessárias para que este não seja um risco iminente. Afinal, se os colaboradores adoecerem, a empresa pode não conseguir operar!

Pensando nesses diversos tipos de riscos, é necessário que as medidas preventivas e corretivas sejam tomadas para minimizar sua atuação e estarmos preparados para lidar também com as possíveis situações de crise.

A probabilidade e impacto de cada risco pode variar dependendo do risco, do tipo de empresa e do setor em que atua. No entanto, é importante que todas as empresas avaliem e gerenciem esses riscos para minimizar potenciais impactos negativos em seus negócios.

 

Como tratar os riscos da sua empresa?

Gerenciar os riscos é muito importante para o sucesso e sustentabilidade das empresas. Vimos que existem diversos tipos de riscos e cada um requer um tipo de abordagem para minimizar o impacto ou eliminar a incidência, garantindo a continuidade das atividades. Por isso, seguem algumas dicas de tratativa. Vejamos:

  • Para os riscos financeiros, as tratativas podem incluir a diversificação dos investimentos, monitoramento constante de indicadores de mercado e limites de perda.
  • Para os riscos operacionais, as tratativas podem incluir o desenvolvimento de protocolos e processos mais claros, treinamentos para funcionários, manutenção regular de equipamentos e sistemas e backup de dados.
  • Para os riscos legais, pode ser incluída a contratação de profissionais especializados, a adoção de práticas éticas e conformidade com leis e regulamentações. Bem como a implementação de uma área de compliance.
  • Para os riscos de reputação, as tratativas podem incluir programas de responsabilidade social, transparência nas atividades, monitoramento constante de feedbacks de clientes e investimentos em gerenciamento de crises.
  • Para os riscos de segurança, as tratativas podem incluir a implementação de medidas de segurança físicas e digitais, treinamentos para funcionários, monitoramento de ameaças cibernéticas e backup de dados importantes.
  • Para os riscos ambientais, as tratativas podem incluir o desenvolvimento de práticas sustentáveis, avaliação de impactos ambientais antes de decisões importantes e a implementação de medidas para minimizar impactos negativos.
  • Para os riscos de saúde e segurança, as tratativas podem incluir a adoção de políticas e programas para prevenir acidentes e doenças ocupacionais, treinamentos para funcionários, fornecimento de equipamentos de proteção adequados e monitoramento constante das condições de trabalho.

 

A importância do planejamento e gerenciamento de riscos nas organizações

Ter um plano para lidar com os riscos é crucial para as organizações que buscam destaque no campo financeiro e também na competitividade, porém é válido lembrar que cada risco depende do contexto e antes de qualquer tomada de ação é necessário que seja realizada uma análise profunda.

Até o momento falamos apenas das ameaças, mas em um próximo artigo dissertaremos também sobre as oportunidades.

 

A Gestão de Riscos é a chave do sucesso!

A gestão de riscos pode ser uma ferramenta importante para a melhoria da cultura empresarial. Quando uma empresa reconhece que a gestão de riscos é uma prioridade e incentiva seus colaboradores a se envolverem no processo, ela pode criar uma cultura empresarial que valoriza a prevenção, a segurança e o cuidado com o futuro.

Além disso, a prática de gestão de riscos pode melhorar a capacidade dos colaboradores de identificar potenciais ameaças e oportunidades em suas áreas de atuação, o que pode ajudá-los a tomar decisões mais precisas e melhorar a eficácia da empresa como um todo.

Em resumo, a gestão de riscos pode trazer uma série de benefícios para as empresas, incluindo a redução de perdas financeiras, a melhoria da qualidade dos processos e da tomada de decisões, o aumento da transparência e da responsabilidade, a contribuição para a estratégia da empresa e a melhoria da cultura empresarial.

Ao implementar e aprimorar os processos de gerenciamento de riscos, a empresa certamente irá aumentar sua estabilidade, melhorar sua reputação e se tornar mais competitiva no mercado.

Quer aprender mais sobre gestão de riscos? Conheça o curso Certified Risk Management ISO 31000:2018 da Q Academy!

QMS Certification

A QMS Certification é um organismo de certificação internacional acreditado que atua especificamente com certificação de sistemas de gestão e treinamentos de normas aplicáveis.

Webinar do mês

Confira nossos conteúdos ao vivo!

Todo mês ensinamos ao novo gratuitamente, confira e se inscreva!

Nos webinars que você assistir ao vivo, há liberação de um certificado de participação ;)

Logo Q Academy Branco

Cursos online de
Sistemas de Gestão

Compliance no Terceiro Setor: Entenda a sua importância

Compliance no Terceiro Setor: Entenda a sua importância

O terceiro setor é uma esfera da atividade econômica que engloba organizações não governamentais (ONGs), associações, fundações e outras entidades que atuam com finalidades sociais, ambientais, culturais ou de desenvolvimento comunitário, mas que não raras vezes são usadas para prática de fraudes, por isso o Compliance no